Ubatuba
Pontos Turísticos
- Casa da Farinha

CLIMA

São Paulo
CIDADES
- Adolfo
- Aguas da Prata
- Aguas de Lindoia
- Altinopolis
- Amparo
- Analandia
- Anhembi
- Araçariguama
- Artur Nogueira
- Atibaia
- Avare
- Bananal
- Barretos
- Barrinha
- Batatais
- Bertioga
- Biritiba-mirim
- Boituva
- Borborema
- Braganca Paulista
- Brotas
- Cabreuva
- Cacapava
- Cachoeira Paulista
- Caconde
- Cajuru
- Campos do Jordao
- Cananeia
- Capao Bonito
- Caraguatatuba
- Cassia dos Coqueiros
- Conchal
- Cotia
- Cunha
- Dourado
- Embu-guacu
- Fartura
- Florinea
- Guaraci
- Guaratingueta
- Guaruja
- Ibira
- Ibitinga
- Ibiuna
- Igarata
- Iguape
- Ilha Comprida
- Ilha do Cardoso
- Ilha Solteira
- Ilhabela
- Ipaussu
- Ipeuna
- Itanhaem
- Itapecerica da Serra
- Itapira
- Itapui
- Itirapina
- Itu
- Itupeva
- Jaguariuna
- Jarinu
- Joanopolis
- Juquitiba
- Lagoinha
- Laranjal Paulista
- Limeira
- Mairipora
- Maresias
- Marilia
- Martinopolis
- Miguelopolis
- Mira Estrela
- Mongagua
- Monte Mor
- Monteiro Lobato
- Natividade da Serra
- Olimpia
- Ourinhos
- Pacaembu
- Panorama
- Paraibuna
- Paranapiacaba
- Pedregulho
- Peruibe
- Petar
- Piedade
- Piraju
- Porto Feliz
- Praia Grande
- Presidente Epitacio
- Presidente Prudente
- Rancharia
- Ribeirao Grande
- Rosana
- Rubineia
- Sales
- Salesopolis
- Salto Grande
- Santa Cruz da Conceicao
- Santa Fe do Sul
- Santa Rita do Passa Quatro
- Santana de Parnaiba
- Sao Bento do Sapucai
- Sao Francisco Xavier
- Sao Jose do Barreiro
- Sao Jose do Rio Preto
- Sao Lourenco da Serra
- Sao Luis do Paraitinga
- Sao Miguel Arcanjo
- Sao Paulo
- Sao Pedro
- Sao Roque
- Sao Sebastiao
- Serra Negra
- Socorro
- Sorocaba
- Tapirai
- Tatui
- Timburi
- Ubatuba
- Valinhos

Ubatuba - SP

..

Informações:


Fundação: 28 de outubro de 1637
Gentílico: ubatubense
Altitude: 3m
Distância da Capital: 223 km
Área: 710 783 km²
Site Oficial Prefeitura: link


Ubatuba | Fonte: Heitor Carvalho Jorge

Descritivo:


Ubatuba é um dos quinze municípios paulistas considerados estâncias balneárias pelo Estado de São Paulo, por cumprirem determinados pré-requisitos definidos por Lei Estadual. Tal status garante a esses municípios uma verba maior por parte do estado para a promoção do turismo regional. Também, o município adquire o direito de agregar junto a seu nome o título de estância balneária, termo pelo qual passa a ser designado tanto pelo expediente municipal oficial quanto pelas referências estaduais.

 

Seu nome tem origem tupi e há pelo menos duas interpretações para o nome. Em tupi, ubá significa canoa, enquanto u'ubá significa cana-do-rio, que é uma gramínea que era utilizada na confecção de flechas pelos índios. Como tyba indica "ajuntamento, o nome da cidade pode significar tanto "ajuntamento de canas-do-rio" quanto "ajuntamento de canoas".



Mapa:


Acesse nosso Guia de Campings MAPEADOS

Mais informações:


HISTÓRICO

Os índios Tupinambás foram os primeiros habitantes da região de Ubatuba. Eram excelentes canoeiros e viviam em paz com os índios do planalto, até a chegada dos portugueses e franceses, que tentaram escravizar os índios, com o intuito de colonização.
Os Tupinambás e Tupiniquins organizaram-se, formando a "Confederação dos Tamoios" e passaram a enfrentar os portugueses (Tamoios é uma palavra da língua falada pelos Tupinambás, que significa "o mais antigo, o dono da terra", portanto a Confederação era a união dos índios, verdadeiros donos da terra). Os padres José de Anchieta e Manoel da Nóbrega chegaram à região com a missão de pacificá-los. Na ocasião, Anchieta tornou-se prisioneiro dos índios, permanecendo aqui por quatro meses, enquanto Nóbrega voltava a São Vicente para finalizar o tratado de paz, que seria firmado em 14 de Setembro de 1563, denominado "Paz de Iperoig". Foi nesta época que Anchieta escreveu o Poema à Virgem na praia de Iperoig, constituído de 5.732 versos.
Com a paz firmada, o Governador Geral do Rio de Janeiro, Salvador Corrêa de Sá e Benevides, tomou providências para colonizar a região, enviando os primeiros moradores para garantir a posse da terra para a Coroa Portuguesa.
O povoado conseguiu sua emancipação político-administrativa e foi elevado à categoria de Vila em 28 de outubro de 1637, com o nome de Vila Nova da Exaltação à Santa Cruz do Salvador de Ubatuba, tendo como fundador Jordão Albernaz Homem da Costa.
Os povoadores se instalaram ao longo da costa, utilizando o mar como meio de transporte. Todavia, com o surgimento da economia do ouro, a região do Litoral Norte se transforma em produtora de aguardente e açúcar para o abastecimento das áreas de Minas Gerais, que experimentava um novo surto do progresso. A Vila de Ubatuba deixa de ter apenas a agricultura de subsistência, passando a uma agricultura comercial, que incluía, além da aguardente e açúcar, fumo, anil e produção de peixe salgado.
Em 1787, o presidente da Província de São Paulo, Bernardo José de Lorena, decretou que todas as embarcações do litoral seriam obrigadas a se dirigir ao porto de Santos, onde os preços obtidos pelas mercadorias eram mais baixos. A partir dessa pressão do governo, Ubatuba entra em franca decadência e muitos produtores abandonaram os canaviais. Os que ficaram passaram a cultivar apenas o necessário para a subsistência.
A situação só melhorou a partir de 1808 com a abertura dos portos, quando da transferência da Família Real Portuguesa para o Brasil, fugindo das tropas napoleônicas, decretando a "Abertura dos Portos às Nações Amigas", em 28 de Janeiro daquele ano. A medida beneficiou diretamente a então Vila de Ubatuba. O comércio ganha impulso inicialmente com o cultivo do café no próprio município, enviado para o Rio de Janeiro. Todavia, o café se expande para todo o Vale do Paraíba e Ubatuba passa a ser o grande porto exportador, privilegiada mais ainda pela estrada Ubatuba - Taubaté, calçada com pedras para sustentar o intenso tráfego de burros carregados de mercadorias.
A Vila passa à categoria de cidade em 1855. Novas ruas são abertas, o urbanismo, no sentido moderno, alcança o município. São criados o cemitério, novas igrejas, um teatro, chafariz com água encanada, mercado municipal e novas construções para abrigar a elite local, dentre as quais o sobrado de Manoel Baltazar da Costa Fortes, hoje sede da FUNDART.
Inúmeras fazendas se instalaram ao longo da costa, a maioria hoje lembrada apenas pela presença de ruínas, ou pelo nome dado às praias como Lagoinha, Maranduba, Ubatumirim e Picinguaba.
A construção da ferrovia Santos - Jundiaí, aliada à decadência do Vale do Paraíba, que perdeu mercado para a maior produtividade da lavoura de café do Oeste Paulista (região de Campinas), determinaram o isolamento econômico da região do Litoral Norte e, em consequência, de Ubatuba.
Uma tentativa de construir uma ferrovia entre Taubaté e Ubatuba foi vista com muita esperança, sendo importados trilhos da Inglaterra. Porém, durante o governo do Presidente Floriano Peixoto, foi suspensa a garantia de juros sobre o valor do material importado, provocando a falência do Banco Popular de Taubaté e, em consequência, da companhia construtora.
A estrada Ubatuba - Taubaté praticamente desapareceu e o tráfego marítimo foi reduzido à escala de apenas um navio a cada dez dias na linha Santos - Rio de Janeiro.
Depois de um longo período, após a Revolução Constitucionalista de 1932, com o objetivo de integrar a região, cujo isolamento ficou patente no conflito, o Governo Estadual promoveu melhorias na Rodovia Osvaldo Cruz (Ubatuba - Taubaté), passando a cidade a contar com uma ligação permanente com o Vale do Paraíba.
Aos poucos, Ubatuba começa a desenvolver a sua vocação turística, recebendo um impulso decisivo nesse setor com a construção da rodovia BR-101 (Rio - Santos), em 1972.
 
Origem do nome
Existem diversas versões de traduções do nome da cidade. Uma delas:
Ubatuba é uma palavra de origem indígena Tupi-Guarani, composta pelos vocábulos uba e tuba:
Uba - espécie de cana silvestre ou canoa
Tuba – muitas
Ou seja, uma expressão para designar um local onde havia um canavial ou muitas canoas.

 

.

.

.

.

AVALIAÇÕES DOS CAMPISTAS E VIAJANTES:


.

OBS: Os comentários e avaliações exibidos acima pertencem ao Facebook e dos respectivos perfis das pessoas participantes. Cabem a elas quaisquer responsabilidades sobre as declarações. É garantido nestes campos o direito de resposta nos mesmos moldes, de qualquer pessoa que discorde.

.


RECEBA NOTÍCIAS DO CAMPISMO:

PATROCÍNIO MASTER:


MOTOR HOME TURISCAR!!!

1992 - A VENDA!

Saiba mais...

NÃO DEIXE DE VER OU PARTICIPAR:
  Forum Oficial do Campismo
Participe dos tópicos. Tire suas dúvidas. Debata suas idéias. Compartilhe do campismo...

  Doações ao MaCamp
Ajude o site que luta pelo campismo

  Campismo com Alma
Seja você também um campista de alma... Saiba mais.

  Rebocando Trailer
A lei mudou. Agora você pode rebocar trailer. Saiba tudo sobre a prática.

  Memorial Sequencial de RV`s
Os mais famosos trailers e motor homes catalogados um a um.

  Agenda do Campismo Brasileiro
Os eventos do campismo e caravanismo organizados por data. Fique por dentro das programações.

  Trailers
O maior acervo de trailers brasileiros da internet mundial.

 

APOIO:

       


O MACAMP É UM SITE FEITO POR PAIXÃO AO CAMPISMO. UM PROJETO QUE NÃO VISA LUCROS, RESTRINGINDO SEUS PROVENTOS À MANUTENÇÃO DO MESMO NA INTERNET E PARA AÇÕES EM PROL DA ATIVIDADE. QUALQUER DESACORDO COM ALGUM MATERIAL, FOTO OU DIREITO, ENTRE EM CONTATO VIA FORMULÁRIO, ONDE TOMAREMOS AS PROVIDÊNCIAS DE RETIRADA OU RATIFICAÇÃO.

IMPORTANTE: Esta é uma versão BETA do MaCamp, ou seja, As informações e visual aqui dispostos estão em forma de testes.

 

TERMOS & CONDIÇÕES DE USO INCLUA SEU CAMPING NO GUIA POLÍTICA DE PRIVACIDADE

 

2000 - 2014 MaCamp. Todos os direitos reservados.